As Melhores Dicas de Cuidados do Rosto

As Melhores Dicas de Cuidados do Rosto

A Oriflame reuniu-se com Joana Soares, especialista em cuidados do rosto da Oriflame Portugal, e falou acerca de como pode melhorar a sua rotina de cuidados com a pele, para obter os melhores resultados e porque deve sempre usar SPF!


Joana Soares
Quais os critérios mais importantes na definição do tipo de pele? É importante fazê-lo?

O tipo de pele é definido de acordo com o nível de produção sebácea e pela dilatação dos poros. É muito importante saber identificar o tipo de pele para que se utilizem os produtos adequados à mesma, para a manutenção de uma pele saudável e para a obtenção dos resultados pretendidos.

Outro aspeto imperativo é que se tenha bem presente a diferença entre tipos de pele e estados de pele. Por exemplo, uma pele mista, com marcada produção de oleosidade e poros dilatados na zona T, nunca pode ser mista e seca. Pode efetivamente ser mista mas estar num estado de desidratação, daí o desconforto sentido em algumas zonas do rosto.


Como é que se pode potenciar a rotina de cuidados do rosto a fim de obter o máximo efeito?

A chave do sucesso, admitindo o uso de uma linha adequada ao tipo de pele, é ser muito metódico/a, perceber o porquê de cada cuidado da rotina e respeitar a ordem de aplicação dos produtos. Só desta forma podemos obter os resultados espectáveis e comunicados pelas marcas. Adicionalmente, devemos ter especial atenção ao cuidado de esfoliação, idealmente de frequência semanal, para garantir a remoção das células mortas à superfície da pele e assegurar a absorção dos cuidados da rotina diária.


Concorda com a segmentação das linhas antienvelhecimento por idade?

A segmentação por idades faz sentido porque há alterações fisiológicas que representam marcos importantes no envelhecimento cutâneo. Além disso, permite o encaminhamento dos consumidores de uma forma standardizada para linhas que, à partida, vão ao encontro das necessidades da sua pele. Inobstante, considerando que cada pele é única e que a idade aparente muitas vezes é diferente da idade real, um diagnóstico cutâneo tem que ter em consideração uma panóplia de fatores.


Quais os marcos mais importantes no envelhecimento cronológico da pele?

Por volta dos 20-25 anos, a desidratação pode começar a fazer-se sentir e surgem os primeiros sinais de envelhecimento. Endogenamente há um decréscimo na produção de ácido hialurónico, substância que tem a capacidade de absorver até 1000 vezes o seu peso em água. O ácido hialurónico assegura o efeito de preenchimento da derme – o centro das atenções quando falamos de envelhecimento cutâneo, para além de que garante as condições ideais para a vitalidade das células associadas à produção de colagénio e elastina – os fibroblastos. Por este motivo, é a partir destas idades que os termos “linhas finas”, “rídulas” e “rugas de expressão” começam a gerar preocupação e a estar em voga.


Quando entramos “na casa” dos 30 anos, a diminuição da produção de colagénio – proteína responsável pela integridade da derme e pela firmeza da pele – é de 1% ao ano, sendo que, dos 40 anos em diante, há uma diminuição mais expressiva. Nesta altura começamos a usar os termos “rugas profundas”, “falta de firmeza”, “flacidez”, “perda do oval do rosto” e “perda de elasticidade”.

A partir dos 45-50 anos há alterações visíveis nas fibras de colagénio e elastina, acompanhadas por um desaceleramento marcado do processo de renovação celular. A menopausa que, em média, tem início aos 51 anos está associada ao denominado “golpe de envelhecimento”, resultado quer da redução dos níveis de estrogénios quer pelo aumento da testosterona livre – com implicações diretas nos sinais e sintomas característicos desta importante etapa do ciclo de vida da mulher.


Qual o seu segredo de Beleza para envelhecer de uma forma natural e saudável?

O meu segredo, ainda que nos dias de hoje já não se justifique, a meu ver, que seja considerado “segredo” é o uso de um fator de proteção solar elevado ou muito elevado, todos os dias do ano! Inúmeros estudos confirmam que podemos influenciar em cerca de 80% o envelhecimento da nossa pele, sendo que a exposição aos raios UV é o fator maior que suporta estes estudos. Gosto de me reger pela máxima de Benjamin Franklin: “um grama de prevenção vale um quilograma de cura”.

Fonte: oriflame.pt

Sem comentários